Ecomuseu Ilha Grande reabre com exposição de fotos da biodiversidade marinha local

O Ecomuseu Ilha Grande reabriu nesta quinta-feira (15) para visitação, depois de ficar fechado por nove meses por falta de recursos. Uma parceria entre a Uerj, a Fundação Parques e Jardins e a empresa Dell’Arte Soluções Culturais vai permitir a retomada das atividades do Museu do Cárcere, Parque Botânico, Museu do Meio Ambiente e Centro Multimídia. Como contrapartida, botânicos da Universidade estão fazendo um estudo nas árvores do Campo de Santana e do Passeio Público.

Para a reabertura, foi organizada uma nova mostra: “Conhecendo e divulgando a biodiversidade marinha da Ilha Grande”, no Museu do Cárcere. A exposição reúne cem fotos de diferentes espécies da região, com curadoria do biólogo marinho, Luis Skinner, professor do Departamento de Ciências da Faculdade de Formação de Professores (FFP). São algas, esponjas, vertebrados e invertebrados, somando um total de 300 registros. O material faz parte de pesquisa realizada por mais de quatro anos pelo grupo de docentes formado por Alexandre Pedrini, Alexandra Rizzo, Eduardo Esteves e Gisele Hajdu (IBRAG/UERJ), André Breves (UFRJ), além de Luis Skinner, coordenador do projeto.

Os núcleos do Ecomuseu Ilha Grande funcionam de terça a domingo, das 10h às 16h. O endereço é Rua Amapá, s/nº, Vila Dois Rios. Para chegar ao vilarejo, é preciso pegar uma trilha de 11km que faz a ligação de Abraão ao local.